Fala galera o artigo de hoje é sobre um tema que geralmente é deixado de lado por muitos praticantes de atividades esportivas, o alongamento. Infelizmente parece que o caso no ciclismo e no MTB é ainda pior, nós, em geral, não temos o hábito de realizar alongamentos.

 

O praticante de ciclismo e MTB sempre é reconhecido por sua grande capacidade física, uma enorme capacidade aeróbica, mas quando se parte para o lado da flexibilidade vemos que grande parte dos praticantes está em uma situação desfavorável. O que implica em desconforto na bike, dificuldade de realizar um bike fit adequado, entre outras coisas.

 

Analisando a mecânica do esporte: O ciclismo implica em movimentos repetitivos, de pouca amplitude, as pernas nunca estão totalmente estendidas e, também, nunca estão totalmente flexionadas. Logo, esse fator de ausência de alongamentos em busca da flexibilidade é algo que passa a ser “aceitável”, já que os praticantes não sentem a necessidade de realizar os alongamentos.

 

Em teoria a musculatura das pernas, quadris e tronco aumentam o retorno da energia elástica. Agora, um fator que é preciso ser levado em consideração é que o ciclismo não é uma atividade natural, os seres humanos não evoluíram para andar de bicicleta. Pedalar não é um movimento natural como a corrida ou caminhada, assim é muito mais provável o aparecimento de desequilíbrios musculares ou alterações posturais.

 

Pouca flexibilidade e perda de desempenho

 

A baixa flexibilidade não apenas lhe trará um má postura, aumentando o risco de lesões, mas vai também influenciar negativamente o seu desempenho no ciclismo.

 

Apenas para ilustrar, a posição das bikes de estrada tende a fazer com que os flexores do quadril encurtem, a maioria dos ciclistas que eu conheço tem esse encurtamento próximo do quadril, mesmo que não saibam disso. As alterações posturais podem levar a problemas crônicos, que muitos já conhecem e passam por isso, como as dores na região lombar, que atrapalham os treinos e afetam suas atividades diárias. Nosso corpo funciona de forma harmoniosa, tudo é interligado, no caso de encurtamento dos músculos, os ossos tendem a ficar fora de alinhamento, o que aumenta o risco de dor, desconforto e lesão.

 

A baixa flexibilidade – e suas conseqüências – além de lhe trazer o aumento do risco de lesões, afetará sua performance e o desempenho do ciclismo. Sem a flexibilidade, certamente sua potência será reduzida porque você não conseguirá extrair toda força dos músculos, como exemplo dos músculos glúteos. E no caso de problemas na região lombar, em regra haverá uma sobrecarga nos braços, transferindo muito peso para as mãos, causando tensão na parte superior das costas e no pescoço.

 

  Veja Também

 

Algumas informações sobre Alongamento:

 

Quando devo me alongar?

 

É importante definir em que momento se deve realizar o alongamento. Antes do treino não é a melhor hora para se realizar o alongamento, a musculatura fria torna-se mais suscetível a lesão, pois com a falta de aquecimento de seus músculos estes se tornam mais suscetíveis a lesões, além do que o alongamento estático pode reduzir sua potência por um curto período de tempo, em torno de 60 minutos. Prefira aquecimento das articulações antes do treino, simulando os movimentos articulares que serão realizados no treino.

 

Por quanto tempo devo me alongar?

 

É importante dar tempo para que haja “resposta ao alongamento”, essa resposta se dá quando o músculo relaxa e deixa de tentar se “proteger” do alongamento. Alongue por pelo menos 20 segundos, e 60 segundos ou mais para aumentar a flexibilidade.

 

Quantas vezes realizar cada alongamento?

 

Outro fator importante é com relação ao número repetições dos alongamentos, as indicações acadêmicas indicam realizar cada repetição de movimento de alongamento entre duas e quatro vezes.

 

Até onde devo esticar?

 

Alongamento não deve ser dolorido, mas é óbvio que deve gerar um leve desconforto. A razão de se alongar é ganhar amplitude, flexibilidade, por isso o desconforto é necessário para se conseguir “esticar” a musculatura.

 

Com que frequência devo me alongar?

 

Assim como o treinamento, os alongamentos exigem uma realização continuada, respeitando os intervalos para recuperação, sendo aconselhado o treinamento de flexibilidade duas ou três vezes por semana.

 

Qualquer dúvida nesse artigo ou sugestão de temas nos mande nos comentários.

 

Para informações sobre como nos mandar produtos ou parcerias, mande um e-mail para: comercial@marconiribeiro.com.br

Compartilhe este post: