Algumas dúvidas que muitos atletas têm são: As corridas servem como um bom treinamento? Já estou na melhor forma para as corridas? Devo treinar mais e correr menos? E a outra coisa é, o que fazer quando você não tem nenhuma corrida em vista?

 

Muitas vezes, ouvimos a expressão “estou sem ritmo de prova”, ao conversar com um amigo, ou mesmo quando assistimos corridas de bicicleta pela TV ou internet. Por exemplo, você pode passar semanas se dedicando intensamente aos treinos, mas apenas largando em corridas que você realmente vai perceber se está na melhor forma. Por exemplo, os profissionais sempre participam de eventos “menores” antes de largar nas corridas principais da temporada, no ciclismo temos o Criteruim du Dauphine, antes do Tour de France, no MTB, o nosso campeão mundial, Henrique Avancini correu a Twanka Trek antes de largar na Cape Epic em 2019.

Outra linha de pensamento entende que muitas corridas podem interferir no ganho de performance. Por exemplo, alguns autores defendem que é necessário reduzir as corridas para que isso não interfira em seu programa de treinamento.  Pensando nisso abordamos algumas vantagens e desvantagens das “Corridas vs Treinamentos”

 

Vantagens de usar as Corridas como treinamento

Uma coisa é certa, por mais que você insista em pensar o contrário, é na corrida que damos o nosso máximo desempenho. É numa corrida que, você terá motivação para ir o mais rápido possível, dar o seu máximo durante a corrida inteira.
As vezes treinando podemos criar nossos próprios segmentos como referência, e cronometrar nossas passagens por esses trechos para assim termos simular intervalos, mas isso nunca refletirá a realidade de uma corrida. Algumas vezes, mesmo nesses testes particulares nós perdemos a motivação, ou desistimos antes de atingir o objetivo, fato que não aconteceria numa corrida. Não há concorrência, não há oponentes para te levar ao limite.
Um elemento-chave para atingir sua performance máxima é “ultrapassar seus limites”, atingir um novo pico de performance, e para atingir esse pico nada melhor que uma corrida para obter a força máxima de seu corpo.

 

Aspectos únicos das corridas

Outro fator que precisa ser levado em consideração é o aspecto técnico – tática e ritmo. Se você apenas se habituar aos treinos esses aspectos podem ser esquecidos, e isso só se aprende quando levamos o corpo ao limite. Correr uma prova dura como o 70km de Brasília te obriga a pensar sobre as estratégias, o ritmo e aspectos técnicos, como alimentação, hidratação e até mesmo a parte das descidas e singles da prova. Você precisa sim se preparar para isso nos treinos, testar equipamentos, roupas e estratégias pré-corrida. Essas coisas exigem mais prática do que você imagina.

 

Simular o esforço de corrida

Uma dificuldade dos treinamentos é que mesmo simulando os esforços realizados numa corrida, é somente nela que temos a interferência externa para nos levar ao extremo. Dentro do treino existe uma enormidade de formas de realizar os esforços, mas é só na corrida que você terá que realmente “medir forças com seus adversários”, escolher o momento certo de responder a um ataque, ou o momento de não responder e guardar forças para depois.

 

Na corrida que aprendemos como nos comportar nas próximas corridas

Talvez isso seja mais perceptível nas provas de ciclismo, onde você interage mais com o seus adversários, pois normalmente se anda em grupos. Mas hoje no MTB também há muita estratégia envolvida. Como dito anteriormente, tudo isso é passível de simulação, mas sempre será mais real quando você estiver cansado e tiver as rodas para seguir e a necessidade de sobreviver nas rodas certas.

 

Se inscrever numa Corrida aumenta sua motivação

É inegável o fato de ter uma corrida ou um objetivo em mente nos dá motivação para treinar mais. Se você gostar do resultado na corrida, você aumenta sua confiança para continuar treinando firme. Agora se você não gostar do resultado você deve usar isso como motivação para treinar mais e melhorar na próxima corrida. Quando você se mantém apenas treinando, você pode entrar numa zona de conforto e perder o foco ou a motivação, principalmente se estiver treinando sozinho.

Mas é claro que como tudo na vida temos que buscar sempre o equilíbrio, não é simplesmente treinar e sair correndo todas as corridas que aparecerem, pois, as corridas funcionam como motivadores, e até estímulos para sua performance, mas em excesso podem te trazer desgaste excessivo.

 

Veja também:

 

Desvantagens de participar de muitas corridas

Excesso de picos máximos

Um problema com a maior frequência de corridas é que o atleta tentar alcançar vários picos de performance no mesmo ano. Mesmo que no subconsciente você imagine que só vai bater o pico de performance uma ou duas vezes no ano – Ninguém larga numa corrida apenas para participar, o pensamento é de fazer o seu melhor, mesmo que seja uma corrida de menor importância. Ao saber que no final de semana você vai participar de uma corrida, você automaticamente vai aliviar um pouco seus treinos durante a última parte da semana. E é preciso ter muita disciplina para nas corridas. Se você não participar da corrida será mais fácil se manter focado e treinando duro, sabendo que você não precisa estar descansado no final de semana.

 

Correr pode acabar se tornando rotina

Participando de muitas corridas, as corridas vão se tornando “apenas mais uma corrida”, e você acaba perdendo a vantagem competitiva, aquela motivação de estar fazendo algo diferente, aquela motivação por estar fazendo especial. Muitas vezes, é muito importante dar uma pausa nas corridas, esperar um pouco, aumentar a sua “fome de vencer” para próxima corrida.

 

Correndo esquecemos de treinar o básico

Ao participar de muitas corridas, você só vai correr e descansar. Você perceberá que estará apenas correndo, se recuperando, correndo novamente, se recuperando mais uma vez, e isso te fará perder os blocos de treinamento onde você treinará as partes básicas do treinamento. Precisamos fazer vários blocos de treinamento durante o ano para algumas das corridas de alta intensidade, ou corridas de longa distância. Correr com muita frequência significa abandonar os diferentes tipos de treinamento que são necessários durante o ano.

 

Treinar sem corridas no planejamento

É claro que nem todos estão praticando ciclismo para participar de corridas, se você está nesse perfil não se preocupe há espaço para todos. Mesmo que você não tenha interesse em corridas é sempre bom ter parâmetros de avaliação, para saber se está havendo alguma evolução física.
Então, é bacana que você busque realizar avaliações periódicas, ou até mesmo tentar os segmentos criados particularmente para você ter uma base de avaliação da sua evolução particular. Escolha, um percurso e trate como um contrarrelógio. Lembrando sempre que a filosofia entende que o treinamento precisa ser específico, aplique esse teste de forma que isso seja útil para a sua modalidade. Isso serve para quem não quer participar de corridas, ou até mesmo para um período de intervalo longo nas corridas.

 

Para informações sobre como nos mandar produtos ou parcerias, mande um e-mail para: comercial@marconiribeiro.com.br

Compartilhe este post: