Estratégia nutricionais (Parte III)

Vamos falar sobre um dos temas tão esperado Momento pré-prova…

 

Identificamos que a realização de refeições ricas em carboidratos realizadas com intervalos entre 3 a 4 horas, nos dias anteriores a prova é fundamental para reposição dos estoques de glicogênio muscular, claro que ela deve ser fracionada corretamente, estudos comprovaram que a sua reposição minutos antes da realização da prova possui grande relevância para o atleta, irei falar um pouco de como isso pode ser feito de uma maneira geral.

 

O consumo de carboidratos com alto índice glicêmico, como glicose, uma hora antes do exercício físico, promove a hiperglicemia e consequentemente hiperinsulinemia (maior quantidade de insulina no sangue), esse aumento, por sua vez pode promover uma rápida queda da glicose sanguínea nos primeiros 15 a 30 minutos depois do seu consumo, podendo acontecer também durante o exercício físico, esse efeito é conhecido como hipoglicemia de rebote, que é uma das grandes preocupações entre várias pessoas e fatal para alguns atletas, fazendo com que ele
tenha que abandonar a prova ou interromper seu treino.

 

Essa enorme queda de glicose de sanguínea é, sobretudo uma resposta ao aumento de captação e consumo de glicose pelo músculo e uma menor produção de glicogênio hepático.

 

Veja Também

 

Dessa forma, consumir carboidrato de alto IG uma hora antes do exercício físico ou prova poderia prejudicar substancialmente o desempenho. Contudo, é interessante ressaltar que a hipoglicemia de rebote não é uma consequência comum, pelo contrário, esse processo ocorre em uma pequena parcela das pessoas/atletas. Estes tendem a apresentar intensa “sensibilidade” a baixas concentrações de glicose e esses atletas uma hipoglicemia, que pode leva-lo a uma fadiga muscular.

 

Podemos evitar esse distúrbio metabólico pode ser minimizado de duas maneiras:

 

1. Consumindo carboidrato de baixo índice glicêmico nos 60 minutos que antecedem a prova;

2. Ingerir carboidrato de alto índice glicêmico momentos antes da prova entre 5 a 15 minutos antes.

 

Diversos estudos científicos realizados com atletas de endurance foram contatado que a ingestão de carboidrato até uma hora antes do exercício físico ou prova pode alterar positivamente o desempenho do atleta ou talvez não ter benefícios nenhum, podemos então perceber que o mais aconselhável seria a sua ingestão com objetivo de melhorar o rendimento, a melhor estratégia a ser seguida é ajustar a alimentação e verificar os ganhos durante os treinos.

 

Lipídeos podem ser um “combustível” adicional?

Teoricamente sim, a oxidação lipídica durante exercícios é o processo que mais gera ATP durante exercícios longa duração. Seguindo esse raciocínio estratégias nutricionais com aumento de carga lipídica conseguimos ter um aumento significativo de ácidos graxos livres na corrente sanguínea, liberando mais energia e também preservando os estoques de glicogênio muscular, lembrando eu esse consumo deve ser equilibrado e recomendado apenas para atletas que realizam provas superiores há 2 horas, nesses momentos muitos pensam, “que legal posso comer gordura tranquilamente que vai virar energia…” não é tão simples assim, precisamos identificar o tipo de lipídeo, doenças pré-existentes, composição corporal, tipo de treino, além de outros detalhes, mas podemos sim dizer que podemos usa-lo como fonte de energia.

 

Quero finalizar dizendo que vários alimentos podem ser consumidos sem problemas o grande segredo esta na quantidade e horário, faça a coisa certa, procure seu nutricionista para te orientar, ótimo semana para todos e aguarde o próximo artigo que falarei de O que comer durante a prova.

 

Qualquer dúvida relacionada a esse artigo, ou geral, sugestões de temas nos envie pelos comentários.

 

Para informações sobre como nos mandar produtos ou parcerias, mande um e-mail para: comercial@marconiribeiro.com.br

Compartilhe este post: