Fala galera, o artigo de hoje é mais relacionado ao ciclismo de estrada, normalmente em treinos de ciclismo existem os pelotões, que são grupos formados normalmente por pessoas que se conhecem e marcaram aquele treino juntos. 

 

Óbvio que nem sempre é assim, até porque, normalmente os locais frequentados por ciclistas são “comuns”, são trechos frequentados por vários grupos de pessoas e que as vezes os grupos se formam naturalmente. Mas ainda assim é preciso entender que para a boa convivência dos ciclistas existem algumas regras básicas para manter o grupo em segurança.

 

Muitas dessas regras que tentarei exemplificar se aplicam  aos treinos e as corridas, mas a abordagem aqui inicialmente será mais voltada para os treinos, para um grupo que mesmo que exista aquela competitividade sadia, é basicamente uma pedalada coletiva e não uma corrida. 

 

Entenda que no treino em pelotão uma postura defensiva sempre é algo positivo, porque treinar em grupo vai te expor aos riscos naturais de queda, (esse risco existe, porém não é alto) mas se você adotar uma postura mais defensiva você minimiza quase que totalmente o risco de quedas e  estará muito mais seguro em relação ao trânsito, por estarem muito mais visíveis.

 

Vamos lá:   

 

1 – Entenda como funciona

Uma dica que serve para QUALQUER ciclista! Quando nos juntamos a um treino em grupo seja educado, cumprimente as pessoas. Observe o que está acontecendo, veja se o treino tem alguma supervisão, muitas vezes o pelotão pode ser formado apenas por atletas avulsos, mas em alguns casos pode ser um Assessoria realizando um treino coletivo.

 

Caso perceba que é um apenas “recreativo”, entenda o que estão fazendo e se for do seu interesse participe da dinâmica proposta. Agora se for um “treino coletivo” seja educado, converse com o Treinador, pergunte o que está acontecendo, se você achar que tem capacidade técnica e física, converse e veja se a há a possibilidade de participar daquele treino.  

 

2 – Jamais “cruze roda”

Uma coisa que coloca todos em risco no pelotão é a famosa “roda cruzada”. Quando estamos em grupo é óbvio que o pelotão é “vivo”, as bikes estão em constante movimento, o ritmo pode ser alterado em determinados momentos, e isso acarreta em trocas de posição.

 

Mas o que é “roda cruzada”? Bom, quando estamos no vácuo é importante manter uma margem de segurança em relação a roda da nossa frente, e isso envolve também evitar que a sua roda dianteira fique na lateral da roda traseira de quem vai a sua frente. Isso é a situação de risco onde as rodas estão cruzadas, pois qualquer movimentação lateral ou curva que o pelotão faça haverá o risco de contato entre a roda traseira de quem vai a sua frente com a sua roda dianteira, e esse é um risco muito alto de queda.

 

Portanto, ande no vácuo sempre atrás ou em alguns casos na diagonal de quem está a sua frente, mas sempre evitando que sua roda dianteira esteja na lateral da roda traseira que vai na sua frente.

 

3 – Cuidado com os movimentos e os freios

Aproveitando o gancho da dica anterior, é óbvio que você sempre deve evitar a exposição aos riscos dentro do pelotão, mas isso não é 100% possível. Então SEJA PREVISÍVEL, movimente-se com fluidez e sem alterações bruscas, pois, em algumas situações nós temos que pensar também em evitar causar os acidentes, e não só pensar em agir defensivamente.

 

Uma situação que deve ser evitada em um pelotão é o uso agressivo dos freios, uma freada brusca em um pelotão é um movimento que provavelmente derrubará alguém, então é óbvio que no mundo real haverá uma situação em que usar os freios será necessário, mas é preciso frear de forma suave para que todo pelotão reduza a velocidade de forma uniforme.  

 

  Veja Também

 

 

4 – Avise os buracos, obstáculos, mudanças de direção

Seguindo a linha de raciocínio. Se o pelotão se aproxima de um semáforo, um cruzamento, ou uma curva? É claro que a velocidade deverá ser reduzida ou até parar o grupo, mas isso precisa ser feito de forma ordenada. E aqui não existe um código secreto utilizado pelos ciclistas, mas apenas comunicação lógica.

 

Se o grupo vai passar por um quebra-molas (lombada) é só avisar que existe esse obstáculo a frente. Caso haja um buraco ou algum objeto no chão é só sinalizar ou avisar verbalmente. Como dito anteriormente observe como o grupo se comporta, em alguns pelotões as pessoas gesticulam com as mãos apontando os obstáculos, ou sinalizando as curvas, em outros a comunicação é mais verbal, mas o importante é sempre avisar porque quem vai atrás normalmente não está enxergando muita coisa. 

 

5 – Cuidado nas subidas

Aqui a dica é para você evitar e também para se proteger. Em algumas subidas o pelotão pode perder muita velocidade e é muito comum alguns ciclistas pedalarem “em pé”, mas é preciso evitar uma desaceleração brusca no movimento de ficar em pé. 

 

Aqui a junção de várias dicas. Se você evitar a roda cruzada, e estiver atento aos movimentos do grupo já estará quase livre desse risco. Então muita atenção se você for o ciclista que gosta de pedalar em pé nas subidas, ou se vai atrás de quem pedala em pé. Mantenha a distância segura e olhando sempre pra frente, evite ficar olhando somente pra roda de quem vai a sua frente, pois as vezes esse movimento de pedalar em pé pode acontecer 3 ou 4 bicicletas na sua frente e a reação em cadeia pode te levar a uma queda, esteja sempre atento a tudo a sua frente.

 

6 – Perceba quem não está em sintonia

Uma situação inevitável! Existem ciclistas barbeiros, infelizmente é a vida. Assim como no trânsito comum de carros e motos, nós eventualmente nos deparamos com motoristas ruins de roda, pois é no ciclismo é igual. Você não tem aquele amigo que sempre sobra nas descidas no MTB? E qual a sua postura? Você busca entrar nos trechos técnicos antes dele, sabe que nas descidas é melhor entrar antes dele para não ter que empurrar naquele trecho que você acha mais legal na trilha.

 

É exatamente assim no ciclismo de estrada, é claro que ele pode ser apenas menos experiente e ai cabe aos mais vividos orientar e tentar dar dicas para que as situações riscos sejam todas evitadas. Agora existem ciclistas experientes que não tem tanta habilidade, isso é natural. E cabe a você perceber que há um “braço duro” entre vocês no treino e evitar a proximidade. Se você já e já percebeu que tal atleta é um risco afaste-se dele, pois em caso de algum acidente ou queda causado por ele a culpa também será em parte sua que ficou próximo de alguém que você já sabia que era perigoso. Pense nisso.

 

7 – Mantenha o ritmo

Bom como o assunto é treinamento, o ritmo proposto é o ritmo do treino. Então nesse caso manter o ritmo é não interferir de forma abrupta no treino, se você está achando fácil demais tente ajudar puxando o treino, mas faça isso de forma ordenada, não ataque, não altere o ritmo de forma repentina. E se perceber que ainda assim não está encaixado no ritmo do treino siga sozinho, tanto para mais como para menos.

 

Se você saiu para um regenerativo e o pelotão está andando sempre acima dos 40km/h não é demérito nenhum você ficar e cumprir o seu planejamento. O contrário também pode acontecer, você sair para um ritmado em velocidades mais altas e o pelotão não passa dos 30km/h, siga seu ritmo e faça o que você se planejou para fazer.

 

Conclusão

Uma coisa que precisa ficar clara é que o pelotão se movimenta naturalmente, as bikes mudam de posição, é um processo muito dinâmico, portanto fique sempre atento. Não fique preso dentro do pelotão, relaxe, siga o fluxo, procure se manter na roda, troque de posição, vá para a frente para revezar, ajude a puxar o treino.

 

Uma das maiores vantagens do treino coletivo, além da segurança é claro, é a velocidade que o grupo se desloca, como há um revezamento entre os atletas a velocidade média tende a ser sempre maior, e o desgaste menor, então aproveite a oportunidade treine e aprenda cada vez mais.

 

Qualquer dúvida nesse artigo ou sugestão de temas nos mande nos comentários.

 

Para informações sobre como nos mandar produtos ou parcerias, mande um e-mail para: comercial@marconiribeiro.com.br

Compartilhe este post: